• Cadastre-se para receber o informativo FUMSOFT News:

 
 

> Financiamento oferece juros de 8% ao ano para projetos inovadores

Linhas da Fapemig e do BDMG que não exigem garantias reais foram apresentadas para os empresários do setor de TI na FUMSOFT

“Nunca foi tão fácil ser empresário no Brasil”. Com essa frase, o diretor de Planejamento, Gestão e Finanças da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Paulo Kleber, começou e terminou sua palestra na última sexta-feira, dia 2 de setembro, no Intercâmbio Empresarial FUMSOFT. O evento, que contou com a presença de mais de 80 pessoas, abordou as linhas de financiamento disponíveis em Minas Gerais para que as empresas possam investir em inovação com baixo custo.

De acordo com Paulo Kleber, existem hoje várias formas de apoio do Poder Público para que os empresários possam crescer. “Eu também já fui empresário do setor de TI e, na minha época, não tinha linha de financiamento com condições tão favoráveis como as que estamos apresentando aqui”, apontou. No evento realizado no auditório da FUMSOFT, foram detalhadas duas linhas gerenciadas pela Fapemig e pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Os programas Pró-Inovação e Proptec destinam um total de R$ 100 milhões para financiamento de projetos.

Os detalhes dessas oportunidades foram mostrados pela analista do BDMG Gláucia da Silva. A linha Pró-Inovação foi a que chamou mais a atenção do público presente. Ela é voltada ao financiamento de projetos para o lançamento de novos produtos ou serviços inovadores no mercado. Ao todo, R$ 70 milhões estão disponíveis, sendo que cada empresa poderá captar até R$ 2 milhões. Os juros são de 8% ao ano, sem correção monetária e os empresários têm até 60 meses para quitar o financiamento.

A grande novidade dessa linha está na dispensa de garantias reais para a tomada do crédito de até R$ 1 milhão. Basta que haja o aval dos sócios da empresa. Os recursos podem financiar obras civis, compra de equipamentos novos, usados ou importados, móveis e utensílios, informatização (hardware e software), pesquisa e desenvolvimento tecnológico, investimentos intangíveis (consultoria, marketing, design, tecnologia, qualidade, certificações, promoção comercial, treinamento, etc.) e capital de giro associado, entre outros itens.

Por fim, Paulo Kleber ainda ressaltou a importância de se investir em inovação e convocou o setor de TI para puxar essa corrente. Segundo ele, as linhas disponíveis são resultado de um esforço do governo para que Minas Gerais siga a tendência mundial de desenvolvimento. “Se o Brasil considera a inovação estratégica, Minas não pode ficar para trás e tem que fazer um esforço dobrado porque muitos investimentos se concentram no eixo Rio-São Paulo”, afirmou.

Acesse aqui as fotos desse evento na galeria da FUMSOFT no Flickr.


Postado em: 08/09/2011