• Cadastre-se para receber o informativo FUMSOFT News:

 
 

> Persistência é a chave para conseguir recursos em editais para inovação

Palestrantes do último Intercâmbio Empresarial Fumsoft indicam que as empresas vão aperfeiçoando suas propostas à medida que concorrem em editais

fumsoft_intercambio_empresarial_captacao_recursos_editais_inovacao_subvencao_fapemig_cobertura_corpo_sitePara conseguir recursos não reembolsáveis em editais de incentivo à inovação, é fundamental aprender com as derrotas e não desistir. Esse foi um dos conselhos passados pelos palestrantes no último Intercâmbio Empresarial Fumsoft, realizado nesta terça-feira, 5 de março. O evento contou com a participação do gerente de negócios e projetos da Fumsoft, Rodrigo Alves, do consultor Frederico Pinheiro, profissional com ampla experiência em elaboração de propostas para pleitear recursos em editais, e também do diretor de Planejamento, Gestão e Finanças da Fapemig, Paulo Kléber Pereira.

“Primeiramente, acreditem que é possível captar recursos em editais para inovação. Em seguida, persistência”, ressaltou Pinheiro. De acordo com ele, é relativamente raro as empresas conseguirem verba no primeiro edital em que participam. O ideal é que os empresários aperfeiçoem suas propostas a cada negativa que recebem, momento em que as entidades financiadoras detalham os pontos fortes e fracos do projeto. “Ao oferecerem verba para incentivar projetos de inovação, as instituições compartilham custos e riscos com as empresas. As propostas com maiores chances de serem selecionadas são as que minimizam os riscos o máximo possível”, explicou.

No evento, Rodrigo Alves apresentou as oportunidades em aberto para captar esse tipo de recurso: três editais da Fapemig e o edital de Mestres e Doutores (RHAE) do CNPq. Ele ainda comentou as perspectivas para este ano, citando os editais ainda não publicados, como o Subvenção Econômica 2013, o Tecnova e as chamadas públicas da Fapemig em parceria com grandes empresas. O gerente de negócios e projetos da Fumsoft  comentou ainda que os investimentos em inovação no setor tendem a crescer. “TI é prioridade para a prefeitura, para o governo estadual e para o governo federal, pois é fundamental para o desenvolvimento do país”, ressaltou.

Último palestrante da noite, Paulo Kléber ressaltou a importância da aproximação entre governo, empresas e universidades ou centros de pesquisa. “A inovação acontece nas empresas, que absorvem o conhecimento da academia para aplicar em produtos e serviços inovadores”, apontou. O diretor da Fapemig ainda apresentou os programas da instituição voltados para pesquisadores e para empresas. De acordo com ele, a Fapemig investiu, em 2012, R$ 272 milhões em recursos não reembolsáveis.

Acesse aqui as apresentações feitas por Rodrigo Alves, Frederico Pinheiro e Paulo Kléber Pereira, e confira também as fotos do evento no Facebook.

Profissionais interessados em aprofundar seu conhecimento sobre o assunto podem participar no dia 21 de março do curso “Elaboração de Projetos para Captação de Recursos para Inovação”. Saiba mais aqui.


Postado em: 06/03/2013