• Cadastre-se para receber o informativo FUMSOFT News:

 
 

> Pesquisa com empresas de TI de BH indica maiores obstáculos do setor

Programa MGTI 2022 visa eliminar esses gargalos e impulsionar o desenvolvimento do setor mineiro

Escassez de mão de obra, a falta de linhas de financiamento e a dificuldade de obtenção de crédito para pequenas empresas. Estes foram os principais problemas identificados pelas empresas de Tecnologia da Informação (TI) de Belo Horizonte em uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead) em 2012.

A maior parte das empresas ouvidas indicou também a necessidade de criação de novas políticas de incentivo fiscal para TI. As entrevistadas informaram ainda que os profissionais que atualmente trabalham no setor, que emprega cerca de 20 mil pessoas, são devidamente qualificados, mas não conseguem atender à demanda.

Para tentar eliminar esses obstáculos e garantir o pleno desenvolvimento do setor em Minas Gerais, surgiu o programa MGTI 2022, esforço conjunto das entidades representativas de TI no estado (Fumsoft, Assespro-MG, Sindinfor e Sucesu-MG), do Governo do Estado, Prefeitura de Belo Horizonte, empresas e diversos outros órgãos do Poder Público, entidades, centros de pesquisa e universidades. A proposta é consolidar Minas como referência nacional em tecnologia até 2022.

Este programa representa a adesão de Minas Gerais ao programa TI Maior, pacote de incentivos lançado no ano passado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Estão previstos cerca de R$ 195 milhões em recursos para o desenvolvimento do plano de trabalho mineiro. Desse total, R$ 100 milhões serão destinados para a criação do Polo Empresarial de TI e outros R$ 74 milhões para a capacitação de 50 mil profissionais e apoio às empresas, de acordo com dados do Governo de Minas.

“Não por acaso escolhemos Minas Gerais para dar continuidade ao processo de regionalização do programa. O estado é um dos destaques no empreendedorismo de base tecnológica no país e tem uma demanda reprimida de profissionais”, ressaltou o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgílio Almeida, em artigo no Estado de Minas.

Vice-governador Alberto Pinto Coelho assina acordo de cooperação técnica com o MCTI, primeiro passo para iniciar o programa MGTI 2022


Postado em: 30/01/2013