• Cadastre-se para receber o informativo FUMSOFT News:

 
 

> Programa de Aceleração adota nova metodologia de gestão em 2013

O modelo de gestão Cerne poderá aprimorar o apoio da Aceleradora aos empreendimentos residentes na Fumsoft

A equipe de Empreendedorismo da Fumsoft apresentou a metodologia Cerne para as startups no dia 20 de dezembro

Os programas de Empreendedorismo da Fumsoft já iniciam 2013 com novidades: Inicia este ano a implantação da metodologia Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne), conjunto de boas práticas que irá aprimorar os processos de gestão do Programa de Aceleração e o apoio oferecido às nove startups residentes, instaladas na Fumsoft, e à Sartech, startup não residente na entidade. A equipe de Empreendedorismo se reuniu com essas empresas no dia 20 de dezembro de 2012 para apresentar a elas as bases da nova metodologia.

O Cerne é uma iniciativa da Anprotec e do Sebrae para disponibilizar para incubadoras e aceleradoras as melhores práticas de gestão, melhorando o desempenho e a qualidade do apoio dado às empresas nascentes. “Com o Cerne, implantaremos soluções sistematizadas, visando ampliar a capacidade dos programas de empreendedorismo da Fumsoft de gerar empreendimentos inovadores e bem sucedidos”, ressalta a coordenadora do setor de Empreendedorismo, Daisy Melo.

A metodologia se baseia em cinco eixos: perfil do empreendedor, produto, capital, mercado e gestão. A equipe de Empreendedorismo desenvolve no momento um planejamento para cada um dos eixos, que englobará consultorias, palestras e treinamentos. Também serão realizadas, ao longo do ano, reuniões trimestrais de monitoramento das startups residentes e não residente, que auxiliarão no acompanhamento de seu crescimento. 

O outro programa de empreendedorismo da Fumsoft, voltado para as  Startups Iniciais, conta com 11 projetos participantes que, após elaborar seu modelo de negócio pela metodologia Business Model Canvas, no final de 2012, estão envolvidos em um novo desafio: Desenvolver o chamado Produto Mínimo Viável (PMV). Elas têm quatro meses para finalizá-lo e, em seguida, as equipes se dedicarão, por dois meses, a testar seu produto no mercado e elaborar seu pitch, uma apresentação curta de sua empresa e de seu modelo de negócio, voltada para investidores.


Postado em: 16/01/2013